segunda-feira, 22 de julho de 2013

A cor preferida do meu filho é rosa !

E isso não deveria ser nenhum choque, mas ainda é.

Em Londres sinto que a pressão é menor do que no Brasil quano o assunto são padrões de comportamento, mas existe.

Um dia, depois da escola um grupo de mães foi com seus pequenos ao parque para aproveitar o sol gostoso que estava rolando. E a conversa começou ....

(uma mãe) - nossa que tênis bacana o do seu filho ... (mas sabem aquele tom de chocada, o tênis do Chicletinho reluzia no sol londrinho um pink bem pink com solado roxo)
(eu) - também acho, a cor preferida dele é rosa.
(mesma mãe) - que diferente né?
(eu) -  você acha? eu não ...

Me contive, pois não queria criar nenhum atrito com mãe de coleguinha do meu filho .... já sou tida como 'exótica' pelo meu jeito esquentado e espalhafatoso latino de ser.

Uma outra mãe ouviu a conversa e entrou no papo comentando que na escola do seu filho mais velho o uniforme dos meninos é rosa, pois antigamente aos homens era atribuida a cor vermelha por representar a virilidade, logo o 'vermelho-claro' (rosa) para os bebês e crianças meninos. Já para as meninas era atribuido o azul, a mesma cor do manto da virgem Maria, simbolizando a pureza.

Eu não conhecia essa história então fui pesquisar e realmente era isso. E não sei o motivo, Hittler atribui o rosa aos gays durante a guerra e por isso houve essa mudança e discriminação quando um homem usa essa cor.

Muito antes do meu filho nascer já não curtia essa palhaçada segmentação por cores/sexo.

É claro que não é fácil lidar com isso. Tenho até uma história, quando eu estava grávida e fiquei sabendo que o baby era um menino comentei na família que o enxoval seria em tons de laranja e marrom. Na época morávamos em São Paulo. Um belo dia estou em casa e chega uma encomenda gigante.

Quando abri a caixa tinha um enxoval completo enviado por uma pessoa da família, pessoa próxima, que não é a minha mãe, enxoval TODO AZUL ... mesmo sabendo que eu não usaria cores nesse contexto, essa querida fez questão de me enviar algo que eu não usaria justamente na intenção de impor esse padrão.

Não é fácil. Mesmo aqui, uma cidade onde vemos crianças meninos empurrando carrinhos de boneca para aprender a andar, ou até unhas dos pés pintadas de roxo (já vi um menino com tutu de bailarina andando feliz pela rua) percebemos alguns olhares tortos.

Meu filho no ano passado pediu para fazer ballet e eu fui. No dia da aula ele ficou sentado o tempo inteiro e no final disse :: Mãe, não gostei. Achei que era só dançar mas tem que fazer um monte de exercício. Prefiro a ginástica da aula de ginástica.

Quando vou ao Brasil eu sinto esses olhares muito mais intensos e reprovadores. Inclusive com pessoas muito próximas.

Esses dias, aqui em Londres, aconteceu uma conversa com uma pessoa. Chicletinho todo feliz contando que gosta de rosa, essa pessoa fala menino gosta de azul não de rosa. Chicletinho solta :: sabe alguns meninos gostam de rosa e algumas meninas gostam de azul. eu tenho um amigo na minha escola que gosta de tudo que é shine.

Nesse dia senti uma paz no coração, um orgulho tão grande ... e mais uma vez as crianças nos mostram como ainda precisamos evoluir para ter a simplicidade que elas têm e a capacidade de aceitação delas.

6 comentários:

Amanda disse...

Olá Liliane!
Meu nome é Amanda, tenho 21 anos.
Vi uma pessoa no seu blog perguntando sobre babysitter e pensei se voce pode me ajudar , já que mora aqui há algum tempo.
Eu trabalho com criancas, mas no momento , estou desempregada. Tenho referencia de duas pessoas aqui em Londres, uma polonesa e uma brasileira que mora aqui há 14 anos.
Se puder me ajudar, eu vou ficar muito agradecida! 07711093216

Desempilhados com filhos disse...

Eu acho que cada um "tem" que gostar do que gosta e ponto. Mas não acho legal as mães que impõem o rosa aos meninos ou azul às meninas. Acho lindo quando ocorre naturalmente como o seu filho querer dançar ballet, você levar até lá e ele decidir se queria dançar. Mas vejo casos de mães obrigando o filho a experimentar o que elas acham que deve ser experimentado, daí não acho nada legal, seja ballet, judô, jazz, kart.
Beijos! Chicletinho feliz fim de ano para você que sabe o que quer. Muito bem! E parabéns pela mami maravilhosa que tens.

Liliane Inglez disse...

E olha só... minha cor preferida é azul!!! Adorei o texto! Acho muito importante discutir e colocar em evidência esse assunto! Um abraço a toda sua família

A Li na Alemanha disse...

Que lindo esse chicletinho!! Acho que o mais importante não é ele manter a opinião dele e pronto. Parabéns Liliane!! Bjooo

Quebrei a Bussola disse...

Ai gente, não aguento essa palhaçada também! Não tenho paciência! Cada criança, cada um, gosta da cor que quiser e brinca com o brinquedo que quiser! Ora, que coisa! Adoro o chicletinho - que criança cheia de luz e super evoluída! Graças, é claro, a uma mãe incrível! :) Continue essa mãe que você é! Bom final de ano para todos vocês e que 2016 seja um ano maravilhoso! Londres está na minha listinha! Quando marcar a viagem, vou pedir dicaas hahaha
Beijos, Julia

Guaciara Rhein disse...

Li, aqui no Brasil isso de rosa ser de menina é MUITO forte mesmo! E sou do seu time, isso já me incomodava antes de ser mãe, agora então... tento explicar pro Arthur que isso não tem nada a ver, mas vira e mexe ele fala que tal brinquedo a irmã não pode porque é coisa de menino e eu falo "vc sabe que aqui em casa isso de ser de menino ou de menina não existe, né?". Porque vejo que a opinião de amiguinhos ou professores impacta bastante nele. Minha família é bem relax quanto a isso, mas tenho alguns familiares que se incomodam mesmo com esse assunto. Minha sogra acha um absurdo Rafaela brincar com os heróis do Arthur, que devo dar muitas bonecas pra ela. Acho nada a ver em dois aspectos, pra que tantas bonecas e pra que TER QUE SER uma boneca? Minha tia deu uma bonequinha pra Rafaela e minha sogra insiste que ela tem que brincar com a tal boneca, acho tão nada a ver essa imposição. Como se usar rosa ou brincar de boneca tornasse um menino gay (e como se eu fosse me importar em ter um filhx gay...). Esse assunto é polêmico e eu arrumo muita discussão com quem cisma com essa bobeira. Bjs!