quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

E os médicos por aqui, como funciona o sistema?

Oi oi :))

Faz tempo que preciso fazer este post para falar como foi e é a minha experiência com o sistema de saúde em Londres.

Lembrando que o post é em relação a minha experiência e que não tenho todas as respostas sobre situações específicas.

Mas chega de papo e vamos lá.

Bom, quando você chega em Londres você se registra no GP (general practitioner) que é o mesmo que o clínico geral no Brasil.

O cadastro no GP é feito na clínica mais próxima da sua residência. No site do NHS você pode pesquisar as clínicas disponíveis para o seu cadastro  (site aqui).

O GP será o seu ponto de partida para qualquer especialidade que você queira.

Suponhamos que você precise ir a um dermatologista. Primeiro você vai ao GP, conversa com ele sobre as suas necessidades e ele fará um referal letter (carta de referência) para que o especialista te atenda.

No caso de ir a um especialista pelo NHS, no meu caso, o próprio GP manda uma cópia da carta para o especialista e o consultório do especialista (que normalmente são nos hospitais) te liga para agendar  a consulta ou você recebe uma carta na sua casa com os detalhes sobre a consulta.

Caso você tenha insurance (plano de saúde) você pega a referal letter com o GP e liga no profissional de sua preferência e marca a consulta.

Você também pode optar por ter um GP pelo insurance, não necessariamente precisa ser pelo NHS.

Minhas experiências me mostraram que os profissionais do NHS são tão bons quanto privados.

Durante a gravidez tive uma dor absurda nas minhas costas e fui ao GP, ele encaminhou a referal letter para o hospital onde estou fazendo o pré-natal e o hospital me ligou para agendar uma consulta com a fisioterapeuta.

Adorei todo o tratamento e o profissionalismo foi nota 10.

Sobre o insurance: usei apenas uma vez para encontrar um pediatra para o Chicletinho, não gostei.

Pedi um exame de sangue para ver sobre as alergias dele e até hoje não recebi o resultado, isso foi em outubro. Ligamos mas ninguém nos retorna.

Estou me preparando para ir pessoalmente resolver sobre esse resultado.

Também existem os profissionais privados (não aceitam insurance) e o sistema é como no Brasil. Marca a consulta e a paga.

Eu tive 3 experiências com médicos privados.

A primeira foi em 2007, quando ainda estava grávida do Chicletinho e estava passando uns meses aqui em Londres.

Tive sangramento e fui ao hospital aqui que me recomendou uma ultrassonografia, mas me trataram como se tudo aquilo fosse uma 'seleção natural'.

Então na insegurança fui em um médico privado daqui, que não se deu ao trabalho de me examinar ou fazer uma ultrassonografia. Acabei voltando ao Brasil durante os 4 meses que ficamos aqui para fazer os exames no Brasil.

A segunda experiência foi com um pediatra privado logo que chegamos aqui em, em fevereiro de 2011.

Chicletinho estava com febre e algumas bolinhas vermelhas pelo corpo. O pediatra nem toco no meu filho e apenas pediu para ver as bolinhas (eu mesma as mostrei). Ele não tirou a temperatura dele, apenas me perguntou se ele tinha febre e eu mostrei a tabela que havia feito monitorando a febre dele e ele disse: é catapora.

Não me disse oq fazer e inclusive disse para mandá-lo para escola.

Fiquei chocada e indignada com o tratamento e claro com o preço da consulta ....

Cheguei em casa e fiz um skype com o pediatra dele no Brasil, o Jairo, e ele então me orientou como eu poderia proceder para amenizar o desconforto das coceiras, em relação a febre, etc.

A terceira experiência foi quando Chicletinho estava com febre de 40 graus, também logo que chegamos em Londres. Como eu já havia tido estas experiências anteriores, resolvi esperar as 18hrs e chamar um serviço de uma clínica privada que tem perto de casa.

Veio uma médica em minha casa, examinou meu filho dos pés a cabeça e ali em casa mesmo fez um exame de urina para ver se tinha algum indício de infecção urinária.

Ele estava com infecção de ouvido e garganta e ela deu um antibiótico para ele ali na hora mesmo.

Então de 3 experiências com os privados, apenas o de urgência me deixou mais tranquila.

Lembrando que as consultas com os médicos privados não são baratas.

Nossa, falei falei falei e parece que ficou confuso ...

.: Resumão :.

NHS - como se fosse o sistema público mas ele é mantido com o pagamento das taxas e atualmente se você estiver irregular no país eles tem o direito de te cobrar pelo atendimento.

- Você chega em Londres e precisa se registrar no GP e tem acesso a especialistas caso precise.

Insurance - Vai depender qual o tipo de insurance você contratar ou aquele que é contratado pela empresa em que você trabalha e você tem direito.

Cada empresa tem suas regras, oq é normal em qualquer lugar do mundo, acredito eu.

Privado - Como no Brasil. Você escolhe o profissional, agenda a consulta e paga por ela.

Acho que é isso.

Se você tem perguntas coloque aqui nos comentários que tentarei responder da melhor maneira possível.

Beijocas
Li





10 comentários:

UMA SENHORA VIAGEM disse...

Uma amiga que morava em Londres estava satisfeita com esse NHS, dizia que vários quarteirões do bairro eram atendidos pelo medico x no posto, [foi isso que entendi] e ela ficava surpresa com o valor pago pelo seguro médico aqui. Imagino o sufoco com crianças pequenas e o médico nem examinar a criança.beijocas e saúde para todos.

Poliana Cardozo disse...

Achei seu post de utilidade para quem vai morar aí. Sem saber como funciona, a pessoa pode se sentir perdida!

Guaciara Rhein disse...

Gente, fiquei horrorizada com esse tratamento! Como assim, nem tocar na criança? Como assim seleção natural? Olha, eu conheço uma mulher que teve uma filha em Londres e foi matricular a filha dela na minha escola. Era gravidez de risco, mais de 40 anos e ela disse que foi muitooo mal tratada e que sentia que eles estavam fazendo isso também, tipo, se vingar é porque merece nascer ou algo do tipo. Socorro!

Nini Ferrari disse...

Teve uma época que eu pensava em passar um tempo em Londres e sempre quis saber mais sobre o sistema de saúde... sempre ouvi maravilhas... pelo jeito nem vale a pena ir em médico particular, né? Bem diferente daqui do Brasil...

Carla disse...

Muito bom post para quem vai viver um tempo em Londres!! E turista? É atendido de urgência no sistema público ou tem que pagar?

Liliane Inglez disse...

Puxa vida... imagino a agonia estar em um país estrangeiro e ainda ter que passar por estas situações... Ainda mais se tratando de um tratamento particular, hein? Mas já ouvi falar que o tratamento pelo NHS é melhor que no SUS, via de regra... Post utilíssimo para quem pretende se mudar para o Reino Unido! Muito bom!

Nathalia Depolo disse...

Sempre que leio relatos do NHS são todos elogiando o sistema. Acho incrível esse acesso à saúde de qualidade que tantos países proporcionam. Uma pena não termos isso por aqui, pois o SUS é ótimo também (no papel), mas são tantos desvios e falcatruas que tudo vai por água abaixo!

Gisele Prosdocimi disse...

Muito interessante saber que em um país de Primeiro Mundo existem profissionais que às vezes nem se dão ao trabalho de tocar no paciente, como muitos aqui no Brasil. Ótimas explicações para quem vai passar um tempo nas terras da Rainha.

Melissa Lima disse...

Parece complicado, mais funcional. Aqui é tão chato!!! Nossa, sinto até falta da UNIMED....rs mas temos excelentes profissionais também, o que me deixa bem tranquila! O péssimo é que é esquema franquia de seguro, e você tem que pagaar tudo pra ser reembolsada depois. Consultas simples esquece, é particular mesmo ou pelo SUS daqui, que eu nunca usei, mas , pela fama, é igual ao do Brasil. Saludos!

Liliane Arend disse...

Carla, os turistas são atendidos nas emergências dos hospitais e caso a idéia é ficar em Londres (estudando ou passeando) se tiver visto pode se cadastrar no GP mais próximo de onde ficará e será atendido normalmente.
Beijocas
Li