terça-feira, 30 de dezembro de 2014

No final do ano que tal umas dicas para ajudar seu filho a se concentrar?

Já contei aqui que fiz o treinamento montessori pela AMI (Associação Montessori Internationle) e MMI ( Maria Montessori Institute London).

Meu treinamento foi específico para crianças de 3 a 6 anos (Children's House), mas sempre me interessei também pelo aprendizado a partir do nascimento até os 3 anos (Nido). Até me inscrevi para o curso este ano, mas foi adiado para abril e baby vai nascer no final de março, então não conseguirei fazer snif snif snif.

Anyway, no facebook participo de um grupo de mães que gostam da metodologia e exite muita troca de informação.

Hoje pela manhã vi uma dica que a Nadia M. Monteiro compartilhou conosco e achei muito bacana. As dicas foram postadas originalmente no Blog NDUOMA.http://nduoma.com/

De uma maneira simples, algumas dicas no dia-a-dia que vão ajudar seu pequeno a se concentrar, oq é uma das metas para as crianças na primeira infância (aqui falamos que one of the children's goals for the first plane of development).

Com o Chicletinho, por não ter conhecimento suficiente, errei nos pontos 5 e 6 .... na melhor das intenções.

Então chega de blá blá blá e vou resumir aqui pra vcs, lembrando que esta é uma tradução livre.

1) Certifique-se que a criança está dormindo suficientemente
Algumas pessoas não percebem o quão importante para o desenvolvimento e crescimento da criança é o sono.
De acordo com o site WebMD. citado pelo Nduoma:
1-4 Weeks Old: 15 - 16 hours per day
1-4 Months Old: 14 - 15 hours per day
4-12 Months Old: 14 - 15 hours per day
1-3 Years Old: 12 - 14 hours per day
Parece que é tudo a mesma coisa, mas no site da WebMD eles explicam as variações dessas horas de sono.

De acordo com pesquisas crianças que não dormem o suficiente acabam se distraindo mais.

Minha opinião: Eu que sou adulta não lido muito bem com as coisas ao meu redor quando estou com sono, cansada. Imagina uma criança que ainda não entende todo esse processo de que esse desconforto é a falta de sono, com certeza atrapalha na concentração.

2) Boa alimentação e hidratação
Este é um outro aspecto que pode influenciar na concentração da criança. Elas precisam de uma alimentação balanceada com carboidratos, vegetais, proteínas e frutas.

Minha opinião: Como sabemos até os 6 meses as crianças devem ser alimentadas exclusivamente com o leite materno. Após este período, de acordo com orientação pediátrica, devemos introduzir alguns alimentos. Também sabemos que cada grupo alimentar possui nutrientes necessários para o bom desenvolvimento de cada pessoa.

3) Prepare um ambiente ordenado
A criança precisa ter um ambiente em ordem para que ele absorva essa ordem.

Minha opinião: No treinamento aprendemos que essa ordem ajudará a criança não só entender a ordem do seu espaço, onde encontrar as coisas que a criança quer, mas essa mesma ordem vai ajudar a criança a criar essa ordem na sua cabeça.
Ordem como: brinquedos do simples para o complexo, objetos ordenados por categoria (quebra-cabeça, chocalhos, etc)

4) Proporcione a criança a experimentar paz e calma
Como é o nível de barulho na sua casa? Existem momentos no dia da crianças em que ela pode experimentar momentos de puro silêncio? Onde ninguém está falando ao telefone, ou a máquina de lavar não está funcionando, a TV está desligada?

Minha opinião: Eu posso afirmar que esses momentos eram os momentos em que o Chicletinho ficava mais tempo brincando com apenas um brinquedo, explorando esse brinquedo com seus dedinhos. Nessas horas eu me segurava inclusive para falar com ele e  não interrompê-lo.

5) Sem entretenimento passivo
Muitos pais, babás, avós, tios e tias acham que precisam entreter as crianças o tempo todo. Isso é exaustivo e as crianças aprendem a partir das experiências ativas.

Minha opinião: eu era totalmente uma 'entertainer' pro Chicletinho. Achava que precisava ficar estimulando ele o tempo todo mas não me dava conta que as vezes ele precisava do tempo dele para descobrir, explorar cada momento ou brinquedo ou objeto.
Por exemplo, a criança não aprenderá  a abrir e fechar uma caixa se ela mesma não pegar a caixa e tentar, ao seu modo, abrir e fechá-la (trocentas mil vezes, mas o processo é esse mesmo).
Somos seres sensoriais, a crianças aprendem com suas próprias experiências e a repetição é uma maneira de aperfeiçoar, no caso de abrir e fechar caixas, seus movimentos.

6) Sem TV antes dos 2 anos de idade ou sem TV depois dos 2 anos
Preste atenção aos programas infantis. Eles mudam de cores e cenas a cada 3 minutos, a vida não é assim e isso acostuma a criança a ficar hiperativo e terá dificuldades para se acalmar e manter o foco.

Minha opinião: Justamente por sermos seres sensoriais, aprendemos através de experiências concretas. Crianças não conseguem visualizar coisas abstratas sem antes terem vivenciado. Por exemplo: se você pedir para uma criança visualizar uma zebra, a criança não conseguirá fazê-lo se antes ela não tiver visto uma zebra (em foto ou pessoalmente). Ah mas então ver é uma fonte de experiência sensorial. Sim, mas você não consegue assimilar algo se a cada 3 minutos as cores e o cenário mudam ...
É muito importante para as crianças terem esse momento sensorial respeitado, é o momento em que ela está absorvendo suas experiências e as armazenando em sua memória. Todas essas experiências seguirão com a criança por toda a sua vida.

7) Brinquedos e materiais simples e apropriadamente desenvolvidos respeitando a idade das crianças
A pessoa que escreveu o post faz uma observação para que os brinquedos/materiais que mais prenderam a atenção dos seus filhos foram aqueles que estavam compatíveis com o tipo de capacidade que a criança estava desenvolvendo.

Para as crianças a partir de 3 anos, em inglês chamadas de toddlers, atividades da vida prática e atividades que envolvam água e artes tendem a guiá-los a um período de concentração mais longos, como por exemplo, lavar pratos, limpar uma mesa, regar plantas, etc.

Para os bebês os mobiles simples podem capturar sua atenção por muito tempo. Quando eles interagem com o mobile, tentando girá-los ou apenas segurando, ajudam eles a desenvolverem sua coordenação motora.

Minha opinião: Precisamos estar atentos para oferecer atividades de acordo com o interesse e o momento de desenvolvimento de cada criança. Eu sempre acreditei que cada criança, e pessoa, é diferente da outra e Maria Montessori comprovou isso. Por isso sua proposta é envolver crianças com faixas etárias diferentes mas dentro de um mesmo período de desenvolvimento (planes of development). Ou seja, uma criança de 4 anos tem interesses e desenvolvimento diferente de uma outra de 4 anos. A máxima, não compare é muito real.

Cansei de ver mães comparando a idade em que o filho começou a andar, a falar, a segurar o copo. Cada um tem o seu tempo, apenas respeite e ofereça um ambiente que proporcione o seu desenvolvimento de acordo com a necessidade individual.

8) Comece cedo
Todas as crianças são capazes de se concentrar, por mais novas que sejam.
Para os bebês os móbiles são uma ótima maneira de encorajar a concentração deles.
Um ambiente organizado e preparado de acordo com as necessidades das crianças, como citado anteriormente, ajuda a criança a entender como seu ambiente funciona e a se concentrar nos desenvolvimentos que ela está passando naquele momento.

Minha opinião: como eu queria ter feito o treinamento Montessori antes do Chicletinho nascer. Eu teria feito muitas coisas diferentes. Outra coisa que ela não citou, mas que percebo até hoje (depois de fazer o treinamento) é que o rodízio de brinquedos/estímulos é apropriado para as crianças.

Não deixo mais todos os brinquedos a disposição, faço um rodízio e posso afirmar que a concentração e interesse do Chicletinho melhoraram muito.

9) Observe
Na metodologia Montessori a observação é importante. Você observa para ver se a criança descansou o suficiente, ter certeza de que não está com fome, para ver quando está sendo muito estimulado, para identificar seu desenvolvimento e seus interesses e o mais importante para identificar os momentos de concentração e respeitá-los.

Minha opinião: acho que observar todas as mães/pais/tios/avós/babás os fazem, para identificar coisas do tipo: o choro é de cólica, fome, está sujo?

Acho que agora nosso olhar estará mais diferente. Observaremos em outros aspectos, com foco não apenas nas necessidades básicas de cada criança mas em seu desenvolvimento e entendendo que a criança, por mais recém nascida que seja, está se desenvolvendo não apenas fisicamente mas intelectualmente também e isso acontece a todo o momento.

10) Não interrompa 
Uma vez que você reconheça os momentos em que a criança está concentrada em seu desenvolvimento, não interrompa.

Não ajude, não elogie, não corrija, sorria para você mesma e se quiser observar, observe de longe.
Durante este período de desenvolvimento a concentração é frágil, fácil de ser quebrada e se quebrada muitas vezes a criança perde o interesse em se concentrar.

Minha observação: concordo plenamente com este item. Eu tenho uma certa tendência em estar sempre por perto, ajudando ... quer dizer eu achava que estava ajudando mas não estava sendo bem assim.

Hoje percebo claramente que a dependência que meu Chicletinho tinha foi algo criado por mim. E depois é mais difícil fazer com que eles sejam mais independentes em suas descobertas e sabemos que não podemos estar presentes o tempo todo né?!

***
Então gente, gostaram? A vida é assim mesmo né, vivendo e aprendendo. Oq não podemos é nos fechar para as informações que a vida nos proporciona e usá-la da melhor maneira possível.

Se você quiser ler o post na íntegra clique aqui, eu recomendo !

Beijo em todos e que 2015 seja um ano de mais descobertas e realizações incríveis :))

2 comentários:

Guaciara Rhein disse...

Eu queria muito ter paciência para aplicar uma educação Montessoriana aqui em casa, acho tão interessante a distribuição de móveis, as atividades e tudo mais... essa questão do verificar se a criança está dormindo direito sempre me tirou o sono. Rafa acorda a noite para mamar, mas dorme bem no geral, 9 da noite no máximo já está sonhando. Ela tem mais facilidade para aceitar as regras diárias, tipo, almoça 11:30, mama meio dia, dorme até as 2 mais ou menos. Arthur já me deixou de cabelo branco e até neuro, fono, pediatras frequentamos tentando descobrir o porque ele nunca dormiu direito. Agora que ele está caminhando para os 5 anos que está melhorando o sono dele, mas agora ele quer acordar 10 da manhã... como é difícil! E me fez pensar essa questão dos desenhos, já que também sempre fui do time de estimular a criança ao máximo, incluindo Galinha Pintadinha que é hipoer barulhenta e colorida... ser mãe não é mole!

UMA SENHORA VIAGEM disse...

Excelente texto e as complementações feitas por você.Eu trabalhei 22 anos como coordenadora pedagógica de Educação Infantil e acho que é necessário ter disponibilidade interna para educar os filhos e abrir mão de certas coisas tb. as diferenças entre as crianças precisam ser entendidas e exigem atitudes diferentes. beijocas